Diferenças entre o método fônico e o método global

Existem importantes diferenças entre o método fônico e o método global.

As diferenças entre o método fônico e o método global  precisam ser ressaltadas e compreendidas para alcançamos sucesso na aplicação do método fônico.

Cada método tem um objetivo a ser alcançado. Para alcançarmos o objetivo do método fônico precisamos seguir seus pressupostos.

O professor precisa ter uma postura clara e precisa de instrutor . Deve ensinar ao aluno de forma direta, explícita e sistemática os fonemas, grafemas e a relação entre eles. Isso deve se dar de forma organizada, do mais simples para o mais complexo, explicita, por meio de demonstrações, e direta, não fazendo pegadinhas ou esperando que o aluno deduza intuitivamente os sons que compõe as palavras ou os grafemas (letras) que representam esses sons.

Vejamos as principais diferenças na aplicação do método fônico e do método global no quadro abaixo:

Método fônico sintético

 

Construtivismo (método global)  analítico

 

O que é ensinado

 

Ensina-se a ler partindo da relação entre as menores unidades sonoras da fala (fonemas) e as letras que representam esses sons (grafemas).

 

Ensina-se a ler partindo do texto e chagando ao nível da palavra.

 

Tipo de texto utilizado

 

Utiliza-se “textos decodificáveis”, elaborados especificamente para desenvolver determinada habilidade de consciência fonológica e fonêmica.

 

Utiliza-se “ textos autênticos”, que compõem a literatura infantil em geral.
O que se aprende

 

A criança aprende a reconhecer os fonemas e grafemas e as relações entre eles, tornando-se capaz de decodificar (ler) as palavras. Partem das menores unidade para chegar à palavra.

 

A criança deve conhecer a palavra globalmente, e não as letras que a compõe.

 

Cabe ao aluno

 

O aluno deve aprender a relação grafo-fonêmica ao ponto de dominar o princípio alfabético sendo capaz de decodificar de forma automática as palavras.

 

O aluno deve descobrir sozinho a relação entre a forma o sentido da palavra no texto e memorizá-la, ou como querem os construtivistas, se apropriar da palavra e seu sentido.

A relação grafema- fonema será aprendida de forma intuitiva, espontânea.

Cabe ao professor

 

Ao professor cabe ensinar de forma explícita e sistematizada os fonemas, as letras e a relação grafo-fonêmica.

O professor instrui o aluno de forma direta, explícita e sistemática.

O professor atua como mediador expondo a criança aos texto e palavras para que esta descubras por si a relação entre a forma de determinada palavra, seus sons componentes e seu significado.

 

Neste comparativo fica clara a diferença da postura do professor no método fônico e no construtivismo.

No método fônico o professor não é apenas um mediador, mas um instrutor, que precisa ter domínio teórico e prático para orientar com sucesso o processo de alfabetização do aluno. E isso faz total diferença…

 

Se você se interessou por este assunto, e quer saber mais sobre as diferenças entre o método fônico e o método global leia mais no post Método Fônico X Método Global .

Seja também um agente de transformação, ajude a divulgar o site Alfa Fônico, siga-nos nas redes sociais, compartilhe este poste no Facebook, Instagram

 

DEHAENE, Stanislas. Os neurônios da leitura: como a ciência explica a nossa capacidade de ler. Porto Alegre: Penso, 2012

OLIVEIRA, João Batista Araujo e. ABC do alfabetizador. Brasília: Instituto Alfa e Beto,2008.

Comissão de Educação e Cultura. Alfabetização Infantil: Os novos Caminhos. Relatório Final do Grupo de Trabalho Brasília: Câmara dos Deputados, Comissão de Educação e Cultura, 2003.

1 Comment

Deixe uma resposta

Search

+